Stilus outro

Mantida prisão do acusado de espancar mulher até a morte por furto de celular

Com ajuda de comparsas, ele chegou a esconder o corpo da vítima

Por Redação em 17/10/2020 às 09:29:43

A 1¬™ C√Ęmara Criminal do TJMS (Tribunal de Justi√ßa de Mato Grosso do Sul) negou habeas corpus a Nailson Ferreira dos Santos, acusado de espancar até a morte Ana Rosa da Silva, por suspeitar que ela tivesse furtado um celular. O crime ocorreu no dia 3 de dezembro de 2016, em Cassil√Ęndia, a 430 quilômetros de Campo Grande. O corpo da v√≠tima foi escondido em um córrego nas proximidades.

A defesa recorreu alegando excesso de prazo no andamento do processo, mas teve o pedido rejeitado. " Inexiste excesso de prazo Na forma√ß√£o da culpa, quando o processo original tramita normalmente, com impulso oficial, n√£o se constatando des√≠dia da autoridade impetrada, sendo que o atraso relaciona-se às peculiaridades do feito (multiplicidade de réus e defesas, necessidade de expedi√ß√£o de cartas precatórias, interposi√ß√£o de recursos etc)", disse o desembargador José Eduardo Neder Meneghelli, relator do processo.

O crime

Na data dos fatos, na Rua Vicente de Andrade Vasconcelos, nas proximidades do Quartel da Pol√≠cia Militar, Nailson matou Ana com v√°rios golpes na cabe√ßa. Ele teve ajuda de uma mulher que forneceu o carro para cometimento do crime, bem como de outro rapaz, que ajudou a esconder o corpo na mata ciliar do córrego Olaria, às margens da MS-310.

Os quatro envolvidos estavam reunidos bebendo em posto desativado, quando Ana decidiu ir embora. Logo em seguida, Nailson percebeu que seu celular havia sido furtado, e passou a desconfiar da v√≠tima. Ele e os demais passaram a procur√°-la pela cidade, indo inclusive na casa de familiares. Eles se depararam com ela nas proximidades do Quartel, onde Nailson a agrediu até a morte e em seguida dispensou o corpo.

Fonte: Midiamax

Coment√°rios

Queimada