Stilus outro

Brasil cria 395 mil vagas formais em outubro, o melhor resultado para o mês desde 1992

Por Redação em 26/11/2020 às 11:02:06

Omercado de trabalho brasileiro registou em outubro o quarto mês consecutivo de saldo positivo na criação de postos de trabalho com carteira assinada. No último mês, foram registrados 394.989 novas vagas formais ante desligamentos – o melhor resultado para o período desde 1992, quando iniciou a série histórica –, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados peloMinistério da Economia nesta quinta-feira, 26. O saldo é o resultado de 1.548.628 contratações diante de 1.153.639 demissões. No acumulado do ano, o saldo é negativo em 171.139 vagas de emprego, decorrente de 12.231.462 admissões e 12.402.601 desligamentos. Em setembro, o saldo encerrou com 313.564 vagas criadas a mais que fechadas.

Os dados mostram que houve abertura de vagas em quatro dos cinco segmentos classificados pelo Caged. O bom desempenho do mês foi puxado principalmente setor de serviços, com 156.766 vagas a mais. No comércio foram criados 115.647 postos de trabalho. O setor da indústria registrou 86.426 vagas abertas a mais que fechadas, enquanto a construção civil fechou outubro com saldo positivo em 36.296 contratações. A agropecuária foi o único que registrou recuo, com 150 postos de trabalhos fechados a mais que abertos. As cinco regiões do país registraram saldo positivo em outubro. No Sudeste, o resultado ficou em 86.884 postos, enquanto o Sul fechou o mês de outubro com 92.932 vagas a mais. No Nordeste foram criados 69.519 empregos formais, no Centro-Oeste, 25.024 e no Norte, 20.658 vagas.

A capacidade para criar postos de trabalho é um dos termômetros para medir odesempenho econômicodo país. Em abril, no auge da crise causada pelo novo coronavírus, o Caged registrou saldo negativo de 927.598 demissões a mais que contratações.Ataxa de desemprego brasileirasomou 13,5 milhões de brasileiros em setembro, alta de 4,3% em comparação ao mês anterior, segundo dados doInstituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados fazem parte do levantamento mensal daPnad Covid-19,que mede os efeitos dapandemia do novo coronavírusno país. O avanço da população desocupada bateu recorde em setembro e acumula alta de 33,1% desde o início da pesquisa. A taxa de desocupação subiu de 13,6% em agosto para 14% em setembro, também a maior da série histórica.

Leia também

Ibovespa supera 110 mil pontos com euforia internacional; dólar cai

Reino Unido prevê queda histórica no PIB; indicador cresceu nos EUA

Black Friday: o que é e como surgiu?

Fonte: JP

Comunicar erro

Comentários

Queimada