IPTU mais asfalto

Carga de Covid-19 no esgoto de Curitiba atinge maior quantidade desde agosto, segundo UFPR

Por Redação em 05/01/2022 às 15:41:34

A taxa registrada de Sars-Cov-2 é 31 vezes superior à carga detectada na semana anterior, em Curitiba, segundo o monitoramento feito pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). A Rede Monitoramento Covid Esgotos da universidade publicou uma nota de alerta para informar sobre o grande aumento observado.

Foto: Maurilio Cheli/SMCS.

Os dados de carga de Sars-CoV-2 para Curitiba foram obtidos pela soma das cargas das cinco Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs) monitoradas, que atendem juntas toda população de Curitiba e uma fração da população da região metropolitana.

Na última semana de 2021, a carga do vírus da Covid-19 atingiu um valor de 167,7 bilhões de cópias genômicas de Sars-CoV-2 por dia, por 10 mil habitantes. Na semana anterior (Semana Epidemiológica 51 – 21/12/2021), o valor  determinado havia sido 31 vezes menor: 5,4 bilhões de cópias de Sars-CoV-2 por dia por 10 mil habitantes.

Desde agosto de 2021, as cargas não atingiam patamares tão elevados. Na semana epidemiológica 52, houve aumento nas concentrações de Sars-CoV-2 em todas as Estações de Tratamento de Esgotos monitoradas, sendo que em duas delas, ETE Padilha Sul – PR-ETE-03 e ETE Santa Quitéria – PR-ETE-05, as concentrações atingiram valores considerados bastante elevados, acima de 25 mil cópias genômicas. Aliado a essa investigação, também foi observado aumento duas vezes maior no número de novos casos confirmados de Covid-19 em Curitiba na última semana de 2021, em relação à semana anterior.

Carga de SARS-CoV-2 e número de novos casos de Covid-19 em Curitiba ao longo do período de monitoramento.

A Rede

A Rede Monitoramento Covid Esgotos foi criada com intuito de ampliar a disponibilidade de informações para o enfrentamento da pandemia de Covid-19 por meio do monitoramento do Sars-CoV-2 nos esgotos das capitais brasileiras Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e do Distrito Federal.

A Rede é coordenada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações de Tratamento de Esgotos Sustentáveis (INCT ETEs Sustentáveis) e pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento
Científico e Tecnológico (CNPq). Em Curitiba, especificamente, o projeto é coordenado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e conta com o apoio da Companhia de Saneamento do Paraná (SANEPAR).

Informações mais detalhadas sobre os pontos de monitoramento, incluindo a justificativa para o monitoramento de cada ponto, podem ser obtidas no Boletim de Apresentação da Rede. O histórico de resultados da Rede pode ser consultado nos Boletins de Acompanhamento, disponíveis na página da ANA.

Fonte: Banda B

Tags:   Saúde
Comunicar erro
Lei do Asfalto

Coment√°rios

Stilus outro