Mercado sobe previsão para a inflação em 2022 e enxerga PIB menor em 2023

Por Redação em 07/02/2022 às 12:52:01

O mercado financeiro revisou mais uma vez para cima a expectativa para a inflação em 2022, segundo previsões do Boletim Focus divulgadas nesta segunda-feira, 7. A mediana da pesquisa feita pelo Banco Central (BC) com mais de uma centena de instituições para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano passou para 5,44%, ante estimativa de 5,38% na semana passada. A revisão afasta o patamar da meta de 3,5% perseguida pelo BC, com margem de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, entre 2% e 5%. Caso se confirme, será o segundo ano seguido que o IPCA estoura o teto. Em 2021, o índice encerrou com alta de 10,06%, muito acima da meta de 3,75%, com variação permitida de 2,25% e 5,25%. Para o ano que vem, os analistas do mercado mantiveram a projeção de 3,5%. Em 2023, a autoridade monetária deve perseguir a meta de 3,35%, com limites de 1,75% e 4,75%.

A escalada na estimativa para a inflação deste ano ocorre a despeito do avanço dos juros pelo BC, que na semana passada elevou a Selic para 10,75% ao ano ao acrescentar 1,5 ponto percentual. A autoridade monetária também deixou contratado novo aumento no encontro, apesar de admitir que deve reduzir o ritmo. Apesar da indicação de mais juros, o mercado financeiro manteve a projeção de Selic em 11,75% ao fim deste ano, e 8% em 2023. Parte dos analistas passou a enxergar os juros acima de 12% ainda no primeiro semestre deste ano após a última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). A escalada chamou a atenção de setores produtivos e reacendeu as críticas de que a política monetária está sendo conduzida de forma equivocada. Para representantes da indústria, do comércio e da gestão de empresas, a indicação de que a taxa básica vai extrapolar a casa dos 12% neste semestre significa que o “remédio amargo” ministrado pelo BC para trazer a inflação para a meta está levado ao overkill, ou seja, um quadro em que a dose é exagerada e causa a morte do paciente.

Analistas do mercado financeiro também revisaram a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2023 para alta de 1,53%, contra estimativa de 1,55% na semana anterior. Foi a terceira vez consecutiva que a expectativa para a economia do ano que vem é revista para baixo. Em 2022, os analistas seguraram a previsão de alta de 0,3%, a mesma projeção da semana passada. O mercado financeiro também manteve a expectativa para o dólar em R$ 5,60 ao fim deste ano, a mesma projeção há oito semanas seguidas. Para 2023, a projeção é que o câmbio encerre a R$ 5,50. O dólar abriu esta semana em queda, cotado na casa de R$ 5,30.

Leia também

Fábrica de fertilizante da Petrobras é vendida para grupo russo Refinaria privatizada vende combustível mais caro que Petrobras

Fonte: JP

Comunicar erro

Comentários

Sidro Nina Central