IPTU mais asfalto

'Ele queria ser jogador de futebol', diz pai de adolescente morto a facadas junto da mãe

Francisco e Daniela viveram juntos durante nove anos e, apensar do relacionamento não ter dado certo

Por Redação em 04/06/2022 às 22:09:24
Amigos e familiares se despedem de Daniela e Gustavo ?- Foto: Geisy Garnes/ Reprodução

Amigos e familiares se despedem de Daniela e Gustavo ?- Foto: Geisy Garnes/ Reprodução

"O Gustavo gostava muito de jogar futebol, era a profissão que ele queria". Foram com essas palavras que Francisco Anjos dos Santos se despediu do filho nesta sexta-feira (3), em Ribas do Rio Pardo. O adolescente, de 14 anos, foi assassinado a facadas junto da mãe pelo namorado na vítima na quarta-feira (1º).
Pai biológico de Gustavo e de "coração" da Janaina de 4 anos, que presenciou o crime e correu pedindo socorro, Francisco disse à reportagem estar desolado e que não deseja essa sensação para ninguém.

"É muito triste uma barbaridade dessa, eu quero que isso não aconteça nunca com um pai de família. A dor de um pai é muito grande, quem já passou por isso sabe, é uma ferida que não vai sarar nunca", afirmou.
Francisco e Daniela viveram juntos durante nove anos e, apensar do relacionamento não ter dado certo, eles ainda mantinham contato por causa das crianças. "Quando conheci a Daniela ela tinha 13 anos, ela engravidou com 13 anos, nos amávamos muito. Com 14 anos ela teve o meu filhinho que tá indo junto com ela também. Um tempo depois ela conheceu o pai verdadeiro da minha filha que ela deixou comigo. Quando decidimos voltar, ela já estava grávida de um mês da Jana", contou.

A partida precoce de Gustavo levou uma parte do pai. "Ele falava comigo, ele não mentia pra mim, não me desobedecia e me fazia carinho. Ele era um pedaço meu, carne minha. Eu perdi uma banda, to andando só com uma", lamentou Francisco.

Tristeza e revolta marcam enterro
O tempo nublado deixou a despedida de mãe e filho ainda mais triste. Com cartazes escritos à mão, amigos de Gustavo, não seguraram a emoção. "Descanse em paz, Gustavão", foi o pedido daqueles que ainda terão uma vida inteira pela frente, mas vão sentir a falta do amigo.
De mãos dadas, outro grupo escreveu que o dia "amanheceu triste", mas que o "céu está em festa por receber mais uma estrela". O uniforme amarelo era o mesmo usado por Gustavo para frequentar as aulas na Escola São Sebastião, que decretou luto e não funcionou nesta sexta-feira.

O cortejo dos corpos chegou a percorrer algumas ruas da cidade e logo depois, mãe e filho foram enterrados, lado a lado, no Cemitério de Ribas do Rio Pardo.

Filha presenciou tudo
Aos quatro anos, a filha de Daniela, também acompanhou a despedida. Testemunhas disseram que, após presenciar o assassinato da mãe e do irmão, Janaina saiu correndo desesperada e coberta de sangue pela rua onde morava, gritando: "Mataram minha mãe! Socorro!".
De acordo com a família, ensanguentada, a pequena conseguiu se esconder debaixo da cama e, logo depois, pedir socorro para os seguranças de um alojamento em frente à casa da família, o mesmo local onde o assassino morava.

Durante o velório, a reportagem conseguiu conversar com um dos professores da creche onde Janaina estuda. O professor contou que durante toda a tarde de quinta-feira (2) a criança ficou na creche, brincando e se distraindo.
Segundo o Conselho Tutelar, a criança deve ficar com pai de "criação" até que a avó materna seja liberada do hospital.

Entenda o caso

De acordo com o registro policial, o crime aconteceu por volta das 23h30 de quarta-feira, na rua José dos Santos, no bairro São Sebastião, em Ribas do Rio Pardo. Gustavo foi encontrado caído em um dos quartos da casa, com ferimentos no peito e nas costelas. Já Daniela estava nos fundos da casa, em outro quarto, com ferimentos na cabeça e no pescoço.
A avó do adolescente também ficou ferida e foi levada em estado grave à Santa Casa de Campo Grande.
O autor dos assassinatos, identificado como João José Furtado Neres, de 32 anos, morreu na manhã de quinta-feira (2) após confronto. Segundo a polícia, o homem foi baleado em troca de tiros e chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Fonte: G1-MS

Comunicar erro
Lei do Asfalto

Comentários

Stilus outro