Coronavac mostra efetividade de 64% para evitar hospitalização de crianças

Por Redação em 25/05/2022 às 20:52:38

Segundo as análises estatísticas, a Coronavac teve efetividade de 38% para prevenir casos sintomáticos, de 64% para evitar hospitalizações e de 69% para barrar as admissões em UTIs.
Os autores afirmam que o resultado da pesquisa indica que a vacina seria eficaz contra a Covid-19 entre os pequenos, inclusive durante o período de maior transmissão da ômicron.

No entanto, eles também apontam algumas ressalvas. Uma delas é que o Chile concentrou os esforços em sequenciamento genômico de variantes basicamente para viajantes de outros países, ou seja, não foi possível ter essa informação precisa para a amostra do estudo.

Também é citado que a pesquisa não conseguiu avaliar por quanto tempo a proteção observada se mantém ou se seria preciso a aplicação de outras doses nessa faixa etária. Segundo os cientistas, outras pesquisas precisam ser feitas para averiguar esses pontos.

Não autorizada para menores Diferentemente do Chile, a Coronavac não teve aprovação para ser aplicada para crianças a partir de três anos no Brasil. O Instituto Butantan, responsável pela vacina no país, entrou com um pedido na Anvisa para aprovar o uso a partir dessa faixa etária. A agência, no entanto, autorizou somente para os maiores de seis anos e pediu mais dados ao instituto.

Além da Coronavac, somente a Pfizer no país pode ser aplicada em crianças e adolescentes a partir de cinco anos. Dessa forma, crianças abaixo dessa idade não podem ser imunizadas no país.

Recentemente, a farmacêutica divulgou que três doses da vacina para crianças de 6 meses a 5 anos resultou em uma resposta imune parecida com duas doses em jovens adultos. Em outro estudo randomizado de fase 3, a vacina da Pfizer teve eficácia de 90% entre crianças de 5 a 11 anos.

No entanto, o país passa por uma baixa taxa de vacinação entre os menores –dados mostram que mais da metade deles podem estar com a segunda dose atrasada. Entre os mais jovens a situação também é de lentidão, já que somente 30% dos brasileiros com até 24 anos receberam a terceira dose.

Fonte: Banda B

Tags:   Saúde
Comunicar erro

ComentĂĄrios

Sidro Nina Central