Siderúrgicas rebatem críticas sobre preço do aço e culpam alta das commodities

Por Redação em 03/12/2021 às 09:48:08

A indústria siderúrgica espera elevar sua produção no próximo ano em 2,2% com 36,8 milhões de toneladas. O Instituto Aço Brasil revisou suas expectativas para 2021 com crescimento de 14,7%. A alta expressiva do aço gerou grande polêmica ao longo do ano. A indústria da construção civil e outros setores chegaram a propor ao governo federal retirada da alíquota de importação para que baixasse o valor do produto. Mas o setor garante que atendeu a demanda brasileira e justifica o aumento pela inflação global que atinge as matérias primas. O presidente executivo do Instituto Aço Brasil, Marco Polo, rebate críticas aos preços praticados no Brasil. “Desde 2020 é o seguinte: "Gente, o preço do aço, de fato, subiu e subiu muito". Subiu e nós não aceitamos essa colocação que tentaram imputar ao setor, especulação de preço. Não. Subiu porque fomos pressionados pelo boom das commodities“, ressaltou, afirmando que a pressão nos preços acabou porque o aumento das commodities “se exauriu”. No indicativo de preços, as importações cresceram 97% em 2021, com 3,86 milhões de toneladas. Já as vendas internas devem atingir alta de 17%, com 22 milhões de toneladas.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos

Fonte: JP

Comunicar erro

Comentários

ALMS Em todos os cantos